Mensalão: Defesa diz que suposta prova contra Gushiken foi forjada

Agência JB

BRASÍLIA - O advogado José Roberto Leal de Carvalho, que representa o ex-ministro da Secretaria de Comunicação e atual chefe do Núcleo de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Luiz Gushiken, disse que a suposta prova de envolvimento do seu cliente no esquema do mensalão foi forjada.

Segundo Carvalho, a acusação contra Gushiken foi pinçada de depoimento prestado pelo ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, hoje adversário de Gushiken, aos membros da CPI do Mensalão, para envolver seu cliente no crime de peculato. Carvalho assegurou que, ao contrário do que consta da denúncia, Pizzolato em momento algum disse que Gushiken lhe determinou o desvio, por meio da Companhia Brasileira de Meios de Pagamento Visanet, de recursos do Fundo de Investimento Visanet, constituído com recursos do BB, em benefício da DNA Propaganda, do publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza.

Diante disso, o advogado se disse em crise cívica e afirmou que a deturpação do depoimento de Pizzolato à CPI para envolver Gushiken é leviandade . E concluiu: 'Luiz Gushiken entrou (na denúncia) por uma questão de divergências que ele manteve com Pizzolato'.

Porque este, segundo ele, teria dito, no depoimento, que a verba da Visanet não tinha controle da Secretaria de Comunicação, então comandada por Gushiken.