Operação da PF busca straficante da quadrilha de Abadia

Agência JB

RIO - A Polícia Federal realiza nesta segunda-feira a Operação São Francisco nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Norte, Bahia, Santa Catarina e Ceará para prender supostos traficantes ligados à Gustavo Duran Bautista, preso neste fim de semana, no Uruguai. Bautista é acusado de fazer parte de uma ramificação do Cartel do Norte do Valle, cujo líder, Juan Carlos Ramírez Abadia, foi preso no dia 7 de agosto em São Paulo.

Em São Paulo, a PF realiza buscas no Aeroporto Campo de Marte, mas não informou o número de mandados de prisão que devem ser cumpridos. De acordo com as primeiras informações, um dos hangares foi revistado.

No sábado, a polícia antinarcóticos do Uruguai prendeu cinco colombianos e dois brasileiros na posse de 485 kg de cocaína. A droga, proveniente do Brasil, chegou ao Uruguai em um pequeno avião e foi descoberta após a aeronave fazer uma parada no departamento de Salto, a cerca de 500 km ao norte de Montevidéu.

De acordo com a imprensa uruguaia, os dois brasileiros detidos eram os pilotos do avião. O estabelecimento onde estavam havia sido comprado recentemente por colombianos.

A operação, resultado de quatro anos de investigações, conta com a cooperação internacional de oito países: Uruguai, Holanda, Bolívia, Inglaterra, França, Espanha Argentina e Paraguai.

De acordo com a PF, os suspeitos fazem parte de um esquema criminoso em que narcotraficantes colombianos transportavam grande quantidade de entorpecente para a Europa. Para o transporte, seriam utilizadas empresas de exportação de frutas sediadas no Brasil e em outros países da América do Sul.

Gustavo Duran Bautista, preso no Uruguai, é empresário especializado no ramo de exportação de frutas, proprietário de três fazendas no Brasil e exterior. Ele seria o chefe da quadrilha e teria montado um verdadeiro império com o dinheiro obtido com o narcotráfico. Na Europa, também seria dono de empresas de importação e exportação.