mudou posição de manete

Portal Terra

SÃO PAULO - O piloto da TAM Marco Aurélio de Lima e o co-piloto Daniel Alves da Silva afirmaram, em depoimento à polícia nesta segunda-feira, que fizeram um procedimento não-recomendado para pousar o Airbus A320 no dia 17 de julho, antes do acidente em Congonhas.

De acordo com o promotor Mário Sarrubbo, os pilotos disseram ter colocado a manete da aeronave, correspondente ao reversor que estava travado, em "idle", ao invés de posicioná-las em "idle reverse", como indicam as novas normas da Airbus. O piloto teria entendido, segundo informações do promotor, que para pousar em uma pista molhada e escorregadia como a de Congonhas, este seria o procedimento mais correto.

Ainda segundo o promotor, com esse procedimento, recomendado pela Airbus até o início do ano, Lima informou que ganharia mais 50 metros de pista.

A posição errada das manetes (alavancas que controlam a aceleração do avião) é uma das hipóteses das causas do acidente com o Airbus da TAM. O brigadeiro Jorge Kersul Filho, chefe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes (Cenipa), teria dito à CPI do Apagão Aéreo na Câmara que as manetes estariam em posições conflitantes na hora do acidente.

Segundo Kersul, enquanto a alavanca da esquerda estaria posicionada na posição "idle" (ponto morto), a manete da direita marcaria "climb" (ponto de aceleração), o que impediria o funcionamento do sistema de frenagem do avião.