MEC investe no desenvolvimento do pólo industrial de Manaus

Agência JB

RIO - O Amazonas está na mira do ministério da Educação, que investe na biodiversidade do estado e o pólo industrial de Manaus visando seu desenvolvimento tecnológico. A alta tecnologia ganhou espaço na Universidade Federal do Amazonas (Ufam). O ministro da Educação, Fernando Haddad, e o reitor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Hidembergue Frota, inauguraram nesta segunda-feira, dia 20, o Centro de Tecnologia Eletrônica e Informação da Ufam.

O centro vai atender alunos de graduação e mestrado em engenharia elétrica e computação. Em parceria com entidades públicas e privadas, já desenvolveu projetos como o diagnóstico automático da tuberculose e o de inovação tecnológica, com a recepção de sinal de TV digital.

- Até bem pouco tempo, dizíamos que os avanços em ciência e tecnologia aconteciam só no Sul e no Sudeste. É uma satisfação ver o quanto a educação avançou no Amazonas - ressaltou Haddad.

Haddad Na terça-feira, dia 21, o ministro da Educação, inaugura o Centro de Documentação e Informação (CDI) do Cefet-AM, em Manaus. O CDI é um prédio que abrigará a biblioteca, auditórios, videotecas e salas de estudo.

Outra meta do MEC é quadruplicar o número de escolas técnicas no estado do Amazonas até 2010. O Plano de Expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica construirá seis unidades de ensino no estado, que já possui duas instituições tecnológicas.

As novas escolas serão implantadas nas cidades-pólo de Tabatinga, Lábrea, Presidente Figueiredo, Parintins, Maués e Coari, e funcionarão vinculadas ao Centro Federal de Educação Tecnológica do Amazonas (Cefet-AM). Serão aproveitados os arranjos produtivos locais de cada região: fruticultura (Maués); avicultura, pecuária e cultivo do feijão (Lábrea); piscicultura (Parintins); turismo ecológico (Presidente Figueiredo); e agricultura (Tabatinga).

A expansão da rede de educação profissional está prevista no Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), lançado em abril pelo MEC. A proposta determina a construção de 150 escolas técnicas em todo o país.