Corpo de brasileiro que morreu nos EUA chega na quinta-feira

Portal Terra

SÃO PAULO - O irmão de Edmar Alves de Araújo, 34 anos, que morreu depois de ser preso em uma blitz de trânsito nos Estados Unidos no último dia 7 de agosto, disse que o corpo deverá chegar ao Brasil na noite da próxima quinta-feira. Segundo Geraldo Alves de Araújo, a família está tentando arrecadar o montante referente ao custo do translado do corpo para o Brasil.

- Não estamos contando com nenhum apoio do governo brasileiro. Minha irmã Irene, que já morava nos Estados Unidos, está tentando arranjar o dinheiro com a ajuda dos amigos. Precisamos de U$ 10 mil - afirmou.

Segundo ele, ninguém do Itamaraty se pronunciou sobre uma possibilidade de apoio ao translado. A prefeitura de Ipatinga, onde vive a família de Edmar, vai arcar com os custos do traslado do corpo dele de Belo Horizonte até a cidade.

A assessoria de imprensa do Itamaraty confirmou que os custos com o traslado de corpos de brasileiros não podem ser arcados pelo governo, já que não há uma verba prevista no orçamento do Ministério das Relações Exteriores.

Ainda de acordo com o Itamaraty, o apoio às famílias de brasileiros mortos no exterior é dado em um primeiro momento na apresentação das opções oferecidas no mercado para o serviço de traslado, e que as famílias podem optar por permitir cremar os corpos do parente, para receber apenas as cinzas, ou até mesmo por enterrá-lo no país onde se encontrava.

O Itamaraty informou ainda que está acompanhando o trabalho de investigação das autoridades americanas sobre a morte de Edmar Alves de Araújo. A assessoria explicou também que já está em contato com a irmã dele nos Estados Unidos, e que, por ser muito recente, as investigações sobre o caso ainda não possuem nenhuma informação ou conclusão.

Geraldo afirmou que a família contratou um advogado americano para acompanhar a apuração do caso. Edmar Alves de Araújo morreu após ser preso em Woonsocket, no Estado de Rhode Island. Ele morava há cinco anos nos Estados Unidos, onde trabalhava como frentista de posto de combustíveis e pintor.