Ministro da Defesa quer orçamento maior para o setor militar

Agência Brasil

RIO - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, defendeu neste sábado um orçamento maior para as Forças Armadas e o reaparelhamento do setor militar.

- O presidente Lula já determinou este ano que nós elevássemos o teto para R$ 9 bilhões, e nós vamos caminhar para o reaparelhamento das Forças Armadas no sentido de que elas possam cumprir suas funções constitucionais e fazer com que a defesa seja exatamente uma questão nacional, algo que seja da agenda nacional - disse.

Jobim participou da solenidade de entrega de espadins a 392 cadetes do primeiro ano da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende, sul do estado do Rio de Janeiro. Em discurso, ele ressaltou que uma nação não pode, nem deve, depender da sorte ou armas alheias para assegurar sua soberania e definir seu destino.

O ministro comentou a importância de reativar a indústria de armamento brasileira, que no passado já teve maior destaque. Segundo Jobim, para que isso aconteça é importante uma integração entre as Forças Armadas e o setor privado.

- Nós vamos fazer isso [tornar a defesa parte da agenda nacional] em termos de possibilitar a integração das Forças Armadas com o desenvolvimento nacional.

O ministro também demonstrou apoio para o projeto do submarino nuclear brasileiro.

- Já foi assegurado dar ao orçamento do ano que vem R$ 130 milhões para o programa nuclear. E nisto está inserido o projeto Aramar [centro tecnológico experimental da Marinha, em Iperó (SP)].

Perguntado se havia recebido algum pedido dos militares na Aman, Jobim respondeu:

- O que os comandantes deixaram muito claro é que o patriotismo das Forças Armadas tem que ser honrado pelo setor civil.