Pilotos da Gol: erro com manetes é hipótese absurda

Portal Terra

BRASÍLIA - Dois funcionários da empresa aérea Gol, que pousaram no Aeroporto de Congonhas com um Boeing minutos antes do acidente com o Airbus A320 da TAM, no dia 17 de julho, foram ouvidos, na tarde desta sexta-feira, no 27º Distrito Policial, em São Paulo.

Os pilotos da Gol disseram que é absurda a hipótese de que o comandante da TAM tenha deixado uma das manetes em posição de aceleração, já que se trata de profissionais experientes que "jamais cometeriam um erro infantil como esse".

Segundo informações da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP), o Boeing 737 da Gol pousou em Congonhas aproximadamente 40 minutos antes do acidente. Os tripulantes entraram em contato com a torre de controle e pediram autorização para pousar. O avião ficou cerca de 10 minutos aguardando os técnicos da Infraero realizarem a vistoria para medir a água na pista, devido à chuva, antes de liberá-la.

Eles reforçaram a informação de que a pista de Congonhas, que já era escorregadia, piorou depois das reformas. Nos depoimentos, entretanto, o piloto e o co-piloto afirmaram que não tiveram problemas para pousar a aeronave.

O delegado Antonio Carlos Menezes Barbosa, responsável pela investigação do acidente, disse que o material recolhido pela polícia já reúne 15 volumes, com cerca de 130 pessoas interrogadas.

- Ainda temos muita gente para ouvir. Creio que teremos o depoimento de cerca de 200 pessoas ao final do processo - afirmou.