PI: Manifestantes quebram TV da Philips

Portal Terra

TERESINA - Membros de entidades estudantis e lideranças populares quebraram, nesta sexta-feira, aparelhos de televisão da marca Philips na Praça da Liberdade, Centro de Teresina (PI), em protesto contra a declaração do presidente da Philips na América Latina, Paulo Zottolo. Ele disse que "se o Piauí deixar de existir, ninguém ficará chateado".

Cantando o hino do Estado, os manifestantes quebraram um televisor, que ainda estava em funcionamento, e um receptor de sinal de antena parabólica da marca. Durante, o protesto, eles conclamaram para que o piauiense faça boicote à empresa não comprando nenhum produto da Philips.

O presidente da União da Juventude Socialista (UJS) no Piauí, José Eduardo Alemão, chamou o empresário de tolo, em uma alusão ao sobrenome do diretor da Philips, Zottolo. Ele disse que o presidente deveria conhecer o Estado. - É uma ofensa muito grande ao povo do Piauí. Vamos iniciar agora o movimento 'cansei' da Philips - afirmou José Eduardo.

Paulo Zottolo ligou na manhã desta sexta-feira para o governador Wellington Dias (PT) e informou que poderá ir ao Estado no dia 28 para pedir desculpas, pessoalmente, ao povo do Piauí.

Ele afirmou que suas declarações foram "infelizes" e que houve um mal entendido. Na quinta, Paulo Zottolo encaminhou nota à imprensa pedindo desculpas à população piauiense pelas declarações.

O governador Wellignton Dias atribuiu as declarações do presidente da Philips ao "preconceito enraizado" das elites ao Estado. O governador disse que acabou o tempo em que se debochava do Estado e que não havia nenhuma reação.