Brigadeiro nega relação entre crise aérea e acidentes

Agência Câmara

BRASÍLIA - O comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro Juniti Saito, rejeitou nesta quarta-feira, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Crise Aérea, a hipótese de que a crise no setor ou no controle de tráfego tenham influenciado nos acidentes com o Boeing da Gol, em setembro de 2006, e do Airbus da TAM, no mês passado. Juntos, os dois acidentes deixaram mais de 350 mortos. - Um acidente não tem nada a ver com o outro - ponderou Saito.

O brigadeiro reafirmou que o prazo previsto para a conclusão dos trabalhos de investigação do acidente com o avião da TAM deve ser de quase dez meses. Ele disse que só poderá falar sobre o caso após o relatório final, com todos os fatores que contribuíram para a tragédia.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais