Traficante fez série de plásticas, diz ministro colombiano

Portal Terra

SÃO PAULO - O ministro de Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos, afirmou nesta terça-feira que a captura do traficante colombiano Juan Carlos Ramírez Abadía, conhecido como Chupeta, fez várias cirurgias plásticas para mudar sua fisionomia, enquanto estava foragido. Santos confirmou que ele é um dos chefes do tráfico de drogas mais procurados no mundo.

Para o governo colombiano, a captura de Chupeta é um dos maiores golpes na quadrilha. "Chupeta", ligado ao narcotráfico desde 1986, foi um dos chefes do cartel de Cali. Segundo a DEA (agência antidrogas americana), a quadrilha enviou milhares de quilos de droga aos EUA na última década.

Ramírez Abadía se entregou à justiça colombiana em 1996 e confessou crimes. Depois de cumprir quatro anos de prisão, foi solto e em seguida retomou as atividades criminosas. Segundo Santos, contra Chupeta há uma ordem de captura na Colômbia e um pedido americano de extradição por narcotráfico e lavagem de dinheiro.

A relação com chefes do narcotráfico começou quando foi trabalhar como tratador de cavalos do então chefe do cartel de Norte del Valle, Ivan Urdinola Grajales, morto em 2002.

Para o diretor da polícia colombiana, general Óscar Adolfo Naranjo, a prisão de "Chupeta" mostra que por mais poderosos que sejam os traficantes, "o mundo fica pequeno frente à perseguição interinstitucional e transnacional".

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais