STF abre inquérito para investigar Renan

Portal Terra

BRASÍLIA - A pedido do procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, o Supremo Tribunal Federal (STF) instaurou nesta segunda-feira um inquérito para investigar denúncias relativas ao presidente do Senado, Renan Calheiros.

Durante a tarde, Calheiros disse que o pedido de abertura do processo feito por Souza é "normal". O inquérito deve coletar provas para fundamentar uma possível denúncia. Após o oferecimento da denúncia, pelo procurador-geral, o Supremo poderá recebê-la, transformando o inquérito em ação penal, ou recusá-la.

O procurador-geral também poderá pedir o arquivamento do inquérito, caso não obtenha provas suficientes para denunciar o senador. Nesse caso, o STF é obrigado a arquivar as investigações.

Calheiros é suspeito de ter usado um lobista para pagar suas contas pessoais. Na semana passada, o Psol apresentou uma nova representação querendo que o Conselho de Ética do Senado investigue também o susposto favorecimento de Calheiros a uma empresa de bebidas. A mesa diretora se reúne na terça-feira para decidir o que fazer com o novo pedido.

Neste sábado, uma reportagem da revista Veja afirmou que Calheiros teria pago R$ 1,3 milhão em dinheiro vivo, com o auxílio de terceiros, para se transformar em sócio oculto de uma empresa de comunicação de Alagoas.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais