Pan-Africano: parlamentar diz que cota não garante inclusão da mulher

Agência Câmara

BRASÍLIA - A representante de Ruanda no Parlamento Pan-Africano, deputada Juliana Kantengwa, afirmou há pouco que as cotas são importantes, mas não são suficientes para garantir a participação política das mulheres. O principal, segundo ela, é que os partidos tenham como objetivo político dar poder às mulheres. "Do contrário, é muito difícil", destacou.

De acordo com Kantengwa, as mulheres ocupam 48% das cadeiras no Parlamento de Ruanda em razão de uma série de fatores. Ela explicou que após o genocídio ocorrido no país em 1994 as mulheres e crianças tiveram que reconstruir Ruanda, ocupando espaços até então reservados aos homens. Também afirmou que a ascensão política das mulheres deve-se à criação de um fundo de financiamento para pagar as campanhas femininas e à criação do Ministério de Gênero.

Juliana Kantengwa participa do seminário "Trilhas do Poder das Mulheres: Experiências Internacionais em Ações Afirmativas". Neste momento, o painel debate as experiências internacionais.

O evento ocorre no plenário 1.