Marina diz é preciso igualar viabilidades econômicas e ambientais

Agência JB

RIO - A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva declarou, nesta terça-feira, que o principal desafio do Governo e da sociedade é aliar projetos de crescimento econômico aos de desenvolvimento sustentável, durante lançamento do 2° Encontro Nacional dos Povos da Floresta.

- A equação do desenvolvimento só fecha se a viabilidade econômica dos nossos projetos for igual à viabilidade ambiental e para aplicar essa estratégia a união com os povos que vivem nas florestas é a melhor opção. Temos que juntar o que existe de melhor nos conhecimentos tradicionais com o melhor da modernidade -, disse ela.

Marina Silva admitiu que preservar o meio ambiente e crescer economicamente é um modelo contraditório, pois o ministro que apóia os recursos naturais é o mesmo que precisa agilizar o crescimento - o mesmo banco que apóia as comunidades, apóia os projetos de desenvolvimento em infra-estrutura. E afirmou que o modelo precisa ser enfrentado.

Vinte anos após a primeira edição do encontro, em Xapuri (AC) e presidido por Chico Mendes, a iniciativa, segundo a ministra, demonstra que as comunidades que vivem nas florestas fortaleceram-se e ampliaram a busca de ajuda para algo que era secundário, marginalizado socialmente, economicamente e politicamente - o meio ambiente. Também organizadora do encontro, a Aliança dos Povos da Floresta lembrou que o país possui 4,7 milhões de quilômetros quadrados de florestas, o equivalente a 55% do seu território, abrangendo Amazônia, Caatinga, Cerrado, Pampas, Mata Atlântica e Pantanal.