Calheiros: erro de digitação gerou notas duplas

Portal Terra

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), apresentou documentos nesta terça-feira para tentar provar que não há duplicidade de recibos de venda de gados de sua fazenda em Alagoas. Calheiros entregou a cópia de dois recibos, um no valor de R$ 30,8 mil e outro de R$ 95.232, referentes à venda de cabeças de bois. O problema é que o número dos cheques de ambos os recibos é o mesmo: 409.571.

O presidente explicou que a duplicidade aconteceu por erro de digitação e mostrou cópias dos cheques. O erro de digitação mencionado por Calheiros teria ocorrido no último algarismo do número do segundo cheque - no valor de R$ 95.232 -, o qual, de acordo com o senador, é o de número 409.575, correspondente à venda de 1.536 arrobas de boi. No recibo ele saiu, por acidente, com o número 409.571.

O primeiro cheque, o que realmente tem o número 409.571, segundo o senador, corresponde ao valor de R$ 30.800, que se refere ao pagamento que recebeu pela venda de 550 arrobas de vaca e foi depositado em sua conta corrente no Banco do Brasil.

Calheiros alega ter faturado R$ 1,9 milhão nos últimos quatro anos com a venda de gado - verba que teria utilizado para pagar a pensão de sua filha de 3 anos com a jornalista Mônica Veloso.

As suspeitas de que o senador fraudava notas fiscais apareceu após reportagem do Jornal Nacional. A Polícia Federal entregará ao Conselho de Ética ainda nesta terça-feira o laudo que mostrará a autenticidade dos documentos de Calheiros. A perícia, no entanto, não comprovará as movimentações pecuárias, apenas a autenticidade das notas.