Xeque-Mate: Servo é indiciado por quatro crimes

Portal Terra

CAMPO GRANDE - Nilton Cezar Servo, suposto chefe do esquema de exploração de máquinas caça-níqueis em Mato Grosso do Sul, preso na Operação Xeque-Mate da Polícia Federal, foi indiciado por quatro crimes: corrupção ativa, contrabando, falsidade ideológica e formação de quadrilha. Uma ação de busca e apreensão foi feita na casa de Genival Inácio da Silva, o Vavá, irmão do presidente Lula, depois que uma ligação entre ele e Servo foi interceptada pela Polícia Federal.

O empresário foi ouvido durante 12 horas no prédio da superintendência da PF em Campo Grande, no mais longo depoimento de todos os 78 presos na operação. Nesta quinta-feira, a PF analisa os documentos apreendidos e compara com as informações obtidas com os depoimentos dos presos. A partir disso, os delegados vão decidir de quais suspeitos eles vão pedir a prorrogação da prisão, cujo prazo expira nesta sexta-feira à meia-noite.

O juiz federal Dalton Igor Kita Conrado, da 5ª Vara Federal de Campo Grande (MS), levantou parcialmente o segredo de Justiça dos presos na quarta-feira, o que permite aos advogados terem acesso aos autos da operação e às cópias de gravações. A decisão deve ser cumprida na manhã de sexta-feira.