Padre é indiciado por estupro em Minas Gerais

Portal Terra

JUIZ DE FORA - A Polícia Civil de Carmo da Mata, no centro-oeste de Minas Gerais, indiciou nesta quarta-feira pelo suposto crime de estupro o padre da cidade, Cléber Domingos Gonçalves, 35 anos. Ele foi preso em 28 de maio, em Belo Horizonte, quando estava em companhia de uma adolescente. Nos depoimentos que prestou à polícia, o padre negou todas as acusações.

Segundo a delegada Adriene Lopes de Oliveira, "há provas contundentes e harmônicas que justificam o indiciamento". O suspeito vai responder judicialmente pelo crime de estupro, com presunção de violência, já que a vítima é menor de 14 anos, explicou.

O padre era investigado há cinco meses pela polícia, desde que surgiram as primeiras denúncias de pedofilia contra ele.

- Conseguimos apurar que ele se hospedou, acompanhado de crianças, com idades entre 13 e 14 anos, em hotéis da região e também em um apartamento em Belo Horizonte -, afirmou a delegada.

No dia da prisão, a garota que estava com Gonçalves confirmou à polícia que teve relações sexuais com ele. A menina passou por exames de corpo de delito que comprovaram o ato. Ainda segundo a polícia, o padre iria todos os finais de semana para Belo Horizonte, onde tem um apartamento no bairro Serra Verde, região norte da capital mineira, acompanhado de um menino de 13 anos, que também seria de Carmo da Mata.

Para concluir o inquérito e indiciar o pároco de Carmo da Mata, a delegada ouviu os depoimentos de supostas vítimas, dos pais delas, além de funcionários e proprietários de hotéis e pousadas, onde ele costumava se hospedar. O padre está preso na Delegacia de Divinópolis, também no centro-oeste de Minas Gerais.