Recadastramento de armas pode ser feito até 2 de julho

Agência JB

BRASÍLIA - Aproximadamente 3,6 milhões de armas estão em poder de cidadãos comuns.

De acordo com o Estatuto do Desarmamento o recadastramento das armas poderá ser feito até o dia 2 de julho.

A renovação do registro poderá ser feita pela internet. A um mês para o fim do prazo, apenas pouco mais de 300 mil pessoas já recadastraram suas armas.

O objetivo do recadastramento é fazer um banco de dados único das armas que circulam no país.

- O intuito do Estatuto do Desarmamento quando previu o recadastramento foi justamente criar um cadastro nacional sobre todas as armas de fogo, uma vez que o Brasil até hoje não conseguiu fazer isso. Com esse recadastramento esperamos ter o controle sobre todas as armas que circulam no país - disse o chefe da Divisão de Assuntos Sociais e Políticos da Polícia Federal, Fernando Segóvia.

Quem não fizer o recadastramento estará cometendo um crime, com pena que pode variar de um a três anos. Caso seja flagrado circulando com a arma sem cadastro será enquadrado por porte ilegal de armas e a punição aumenta, variando de dois a quatro anos de reclusão.

As pessoas que não que quiserem revalidar o registro podem se dirigir a uma delegacia da Polícia Federal e entregar o armamento. Nesses casos, o Estado pagará indenização que pode variar entre R$ 100 a R$ 300. Após o prazo, a pessoa ainda poderá fazer a entrega, mas terá que esclarecer porque manteve a arma de modo ilegal.

O formulário de recadastramento está disponível na internet. Após fazer o requerimento pela Internet, o prazo para entrega da documentação expira em 90 dias.

Com informações da Agência Brasil.