PF prende ex-deputado acusado de chefiar fraudes e jogos ilegais

Agência Brasil

BRASÍLIA - A Polícia Federal prendeu na tarde desta terça-feira, 5 de junho, o ex-deputado estadual do Paraná Nilton César Servo e seu filho, Victor Emanuel Servo. Ambos foram detidos em Uberlândia (MG), acusados de envolvimento com fraudes e crimes que beneficiavam jogos ilegais, e estão sendo levados para a superintendência da PF em Campo Grande (MS), onde devem prestar depoimento de amanhã. O ex-deputado era considerado foragido desde ontem, quando a Operação Xeque-Mate começou.

Nilton é apontado como um dos chefes do esquema de exploração de caça-níqueis no estado, alvo das investigações da Polícia Federal, que já havia prendido 77 pessoas investigadas por envolvimento em crimes como contrabando, corrupção e tráfico de drogas. Seu filho é acusado de gerenciar as casas de bingo e as máquinas de caça-níqueis distribuídas por pelo menos três estados: Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Entre os presos da Operação Xeque-Mate está o compadre do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dario Morelli Filho. A PF também cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do irmão mais velho do presidente, Genival Inácio Lula da Silva, o Vavá. Outros dois filhos de Nilton também já haviam sido presos: José Lázaro e Nilton César Servo Segundo.

A operação investiga o contrabando de componentes eletrônicos para a utilização em máquinas caça-níqueis e tráfico de drogas. Os detidos são acusados de praticarem crimes como corrupção, falsidade ideológica, formação de quadrilha, tráfico de influência e exploração de prestígio.

Os 77 presos durante a operação começaram ser ouvidos hoje pela manhã. A expectativa é de que já na manhã desta quarta-feira, 6 de junho, todos tenham prestado depoimento, de acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Federal.