Irmão de Lula foi indiciado por tráfico de influência

Portal Terra

CAMPO GRANDE - A Polícia Federal confirma que indiciou, pelos crimes de tráfico de influência e exploração de prestígio, Genival Inácio da Silva - o Vavá - irmão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A informação é da assessoria de imprensa da PF em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul.

Nesta segunda, durante a Operação Xeque-Mate da Polícia Federal foi cumprido mandado de busca e apreensão na casa de Genival Inácio da Silva de onde foram levados documentos, embora não haja detalhes do que foi apreendido. A investigação está sob segredo de Justiça.

Em viagem a nova Nova Délhi (Índia), Lula comentou o caso e disse que não acredita no envolvimento de seu irmão. - Conheço o meu irmão há 61 anos, sou capaz de duvidar que meu irmão tem algum problema, mas de qualquer forma, se a PF fez a investigação, está feita a investigação e isso vale para qualquer um dos 190 milhões de brasileiros - afirmou.

Entre os presos confirmados pela Polícia Federal na Operação Xeque-Mate está Dario Morelli Filho, cujo filho é afilhado do presidente Lula. Lula confirmou a informação e disse que não teve notícias a respeito da prisão. - Fui informado que talvez ele estivesse na lista, mas depois não conversei mais com o Tarso [Genro, ministro da Justiça]. Vou ver amanhã. Se foi preso vai ser investigado, interrogado e depois haverá o veredito.

A operação investiga o contrabando de componentes eletrônicos para a utilização em máquinas caça-níqueis e tráfico de drogas. Os detidos são acusados de praticarem crimes como corrupção, falsidade ideológica, formação de quadrilha, tráfico de influência e exploração de prestígio.

Os 77 presos durante a operação começaram a ser ouvidos esta manhã. A expectativa é de que já na manhã desta quarta-feira todos tenham prestado depoimento, de acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Federal.