Diferenças na ação de Lula e Chávez são ressaltadas por diário

Agência JB

RIO DE JANEIRO - Um editorial publicado nesta segunda-feira pelo diário britânico The Guardian afirma que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, "vem animando muita gente de esquerda com sua dramaticidade, mas que é o multilateralismo considerado de Lula que fará mais para mudar o mundo".

O editorial, intitulado "Duas visões de progresso", comenta que "ambos são progressistas radicais, eleitos (e reeleitos no ano passado com amplas maiorias) pelos pobres em sociedades marcadas pelas terríveis variações em oportunidades".

O texto afirma, porém, que eles "não poderiam ser mais diferentes na maneira como fazem seu trabalho". Relatando as recentes trocas de farpas envolvendo as críticas do Congresso brasileiro a Chávez e as respostas do presidente venezuelano, o jornal diz que "apesar dos insultos de Caracas, o Brasil não é um bichinho de estimação dos Estados Unidos".

- Lula se envolveu com o sistema político internacional ao invés de desafiá-lo - diz o jornal. - Dessa maneira, ele se portou melhor do que tanto Bush quanto Chávez, ambos, em diferentes maneiras, unilateralistas assumidos - diz o editorial.

O Guardian também publica em sua capa nesta segunda-feira uma entrevista exclusiva com Lula, na qual o presidente brasileiro rejeita as propostas dos Estados Unidos para negociações sobre o combate ao aquecimento global.

Na entrevista, feita durante a passagem de Lula por Londres antes de seguir viagem à Índia, o presidente brasileiro afirma que os países devem chegar a um acordo sobre a questão nas Nações Unidas e não sob a liderança dos Estados Unidos.

Com informações da BBC Brasil.