Trabalhadores da USP mantêm greve e ocupação

Portal Terra

SÃO PAULO - O Sindicato dos Trabalhadores da Universidade de São Paulo (Sintusp) decidiu, em assembléia realizada no início da tarde desta sexta-feira, manter a greve, a ocupação da reitoria da USP com os estudantes e o pedido de revogação dos decretos assinados pelo governador do Estado, José Serra (PSDB).

De acordo com o diretor do Sintusp Aníbal Cavali, o decreto publicado nesta quinta-feira por Serra - um ato declaratório com o objetivo de explicar a abrangência dos decretos relativos às universidades - não passa de uma "cortina da fumaça".

- Os decretos continuam intervindo nas universidades, seja de forma administrativa, financeira ou pedagógica. Reconhecemos que houve recuo, mas de fato não resolveu nada - acredita Cavali.

Os alunos da USP têm assembléia marcada para as 18h desta sexta-feira, quando decidirão sobre a manutenção ou não da greve e da ocupação.

De acordo com Cavali, a tendência é que a reitoria continue ocupada mesmo após a declaração do secretário da Justiça de São Paulo, Luiz Antonio Marrey, de que o diálogo com os manifestantes está encerrado até que ocorra a desocupação da reitoria. - Ele coloca essa posição, que é intransigente, e vamos responder da mesma forma. Quem tiver mais força política para fazer o outro ceder ganha o braço de ferro - desafia Cavali.