Senadores são contrários a declaração de Hugo Chávez

Agência JB

BRASÍLIA - Senadores usaram a tribuna nesta sexta-feira para repudiar a afirmação feita pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez, de que o Congresso brasileiro "é papagaio dos americanos e representantes da direita brasileira".

O presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, senador Heráclito Fortes (Democratas-PI), classificou a declaração do líder venezuelano como "desorientada".

- Tenho pena do pacato e bom povo da Venezuela. Se toda essa pirotecnia do sr. Hugo Chávez fosse em benefício das melhorias sociais daquele povo, da diminuição dos desequilíbrios sociais daquela gente até que se justificaria, mas é uma pirotecnia que beira o rumo da paranóia - disse.

Fortes disse ainda que Chavez, além de mexer na Constituição de seu país, ainda quer agredir países vizinhos. O senador lembrou que a Comissão a qual preside aprovou na semana passada um voto de recomendação dirigido ao presidente da Venezuela, no sentido de se ponderar a ele sobre a sua decisão de retirar a concessão da RCTV daquele país.

O senador que presidia a sessão no Plenário, Mão Santa (PMDB-PI), declarou apoio a Heráclito em seu repúdio a Chavez, lembrando da independência do Congresso brasileiro ao ser contrário à guerra do Iraque.

- Associo-me ao repúdio de Fortes. Acrescentando, bastaria uma afirmação para enterrar as palavras do ditador Chávez: este Congresso se levantou e foi contra a decisão do presidente Bush de provocar a guerra contra o Iraque.

De acordo com o senador Gilvam Borges, "a maioria dos senadores deste Senado, em seus discursos, manifestou-se contra o poderoso presidente Bush quando este decidiu invadir o Iraque. Isso traduz a independência do nosso País, simbolizada pela independência do Parlamento nacional", disse.

Na quinta-feira, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, enviou condolências ao povo do Brasil por ter um Congresso que "repete como um papagaio" o que diz o Congresso americano em relação à situação venezuelana.

A referência ao Brasil foi motivada por um documento emitido pelo Congresso do Brasil que convida o governante venezuelano a que modifique sua posição frente ao canal privado Radio Caracas Televisión (RCTV).

Chávez acrescentou que os deputados brasileiros "deveriam se ocupar dos problemas do Brasil" e reivindicou a legitimidade da decisão sobre a RCTV e reiterou que de nada servirão as pressões internacionais orquestradas pelas forças de direita.

Com informações do Portal Terra.