Greve de médicos peritos do INSS deve atrasar atendimentos em 15 dias

Agência Brasil

BRASÍLIA - Os médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) estão paralisados desde quinta-feira para protestar contra o assassinato do perito José Rodrigues na última terça-feira. De acordo com a gerente regional do INSS nas regiões Norte e Centro-Oeste e nos estados do Piauí e Maranhão, Raquel Marshall Gadea, os atendimentos devem atrasar no máximo 15 dias.

- As perícias marcadas para ontem e hoje serão remarcadas. Nas gerências regionais de capitais nós temos um pouco mais de dificuldade e um prazo mais estendido pelo número de médicos e de atendimento. Mas isso não vai passar de torno de 15 dias - afirmou Raquel.

Segundo ela, o atendimento em algumas agências vai ser reforçado para não atrasar muitos as perícias que estavam marcadas para quinta-feira e hoje.

- Nós estamos pedindo que na retomada das atividades eles intensifiquem o atendimento para normalizar a agenda. Em muitos lugares, os médicos aceitaram o pedido. Em alguns lugares nós estamos pedindo um atendimento extra de médicos de outras unidades operacionais para que possa reforçar e normalizar o atendimento.

Os médicos peritos do INSS também pedem melhores condições de segurança para a categoria. Eles querem que em todas a agências haja um circuito interno de TV, entradas exclusivas para os servidores, alarmes sonoros e luminosos e detectores de metais nas entradas.

Segundo a gerente regional do INSS, o governo vai lançar uma campanha de conscientização do segurado.

- Quando o segurando tem seu benefício por incapacidade negado, não significa que essa pessoa não esteja doente. Significa que ela não está incapaz para exercer uma atividade naquele momento. Esse esclarecimento é necessário. A pessoa tem que ter requisitos mínimos para ter o direito a esse benefício e estar incapaz para o trabalho.