Governo vai reforçar policiamento em cidades mais violentas

REUTERS

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aprovou na quinta-feira um plano para reforçar as polícias estaduais e autorizar o uso da Força Nacional de Segurança Pública nas 11 cidades mais violentas do país.

Uma porta-voz do Ministério da Justiça disse que o plano, preparado pelo ministro Tarso Genro, será apresentado às 11 cidades - entre elas Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília - e ficará aberto ao debate público durante os próximos 30 dias.

Os ministérios da Fazenda e do Planejamento ainda precisam liberar as verbas para o plano, que propõe o envio da Força Nacional de Segurança Pública, a contração de mais policiais estaduais, melhorias no treinamento, aumento dos salários dos policiais e construção de prisões para mulheres e menores.

O Rio já solicitou e recebeu a força nacional para conter uma onda de violência nos últimos meses, mas o reforço de pouco adiantou. Só na favela de Vila Cruzeiro, ocupada pela polícia desde 1o de maio, 17 pessoas foram mortas em um mês e 56 ficaram feridas -- a maioria vítimas de balas perdidas. Cinco escolas da região foram fechadas desde o começo do mês.

A violência no Rio, que atinge proporções chocantes mesmo para uma cidade acostumada a tiroteios diários entre traficantes e policiais, provocou um debate nacional sobre a criminalidade no Brasil, e o governador Sérgio Cabral Filho pediu o envio de tropas federais para patrulhar as ruas da cidade.