Termina sem acordo reunião entre funcionários da PF e Governo

Agência EFE

BRASÍLIA - Não houve acordo entre os funcionários da Polícia Federal e o Ministério do Planejamento, em reunião realizada na última terça-feira, para discutir o pagamento da segunda parcela de reajuste dos salários dos servidores, da ordem de 30%. Havia sido acertada no ano passado que ela seria efetivada no mês de dezembro último. As representações de delegados, policiais e peritos da PF propuseram ao governo o pagamento desses 30% que faltam, do total de 60% prometidos em 2006, dividido em 3 vezes. A primeira parcela seria retroativa a janeiro de 2007, a segunda no próximo mês e a última em janeiro de 2008.

O secretário de Recursos Humanos do ministério, Sérgio Mendonça, disse ao final da reunião que o governo está aberto a negociação mas não tem condições orçamentárias para pagar dessa forma . Os policiais vão fazer assembléias nos próximos dias e segundo seus representantes está de qualquer forma marcada paralisação para os dias 22, 23 e 24 de maio. De acordo com o presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Sandro Torres Avelar os policiais só não paralisaram suas atividades nos dois primeiros dias desta semana 6 e 7/5) em respeito à visita do Papa Bento 16.

A proposta do secretário Sérgio Mendonça para os policiais é que o governo está disposto a dividir os 30% entre 2008 e 2010, o que foi rejeitado por todas as categorias da Polícia Federal, representadas no encontro. Mendonça explicou que o governo está tentando compatibilizar as diversas negociações com os servidores públicos e os realinhamentos dentro de tabelas compatíveis com os objetivos do Programa de Aceleração Econômica (PAC). Existe um teto para a expansão das despesas com pessoal , segundo o secretário, por isso não pode formular proposta em particular para a Polícia Federal .

Ele disse que a proposta da PF é legítima mas acha que nesse momento estamos muito longe de um ponto de equilíbrio nessa discussão . Na segunda feira o secretário deverá se encontrar novamente com os policiais federais. Em relação à proposta do ano passado de aumento de 60% Mendonça diz que ela não foi nem um erro nem um engano. Ocorreu segundo sua versão dentro de um contexto de comparação com os salários do Ministério Público Federal, usando-se um parâmetro que não cabe no caso da PF uma vez que estamos falando de padrão salarial muito bom .

Com esse padrão podemos recrutar através de concurso os melhores quadros no Brasil para uma polícia de alto nível , acentuou o secretário prevê a possibilidade de um acordo nas próximas 2 ou 3 reuniões.