Índice de desemprego no país é o maior em sete meses, diz IBGE

Agência EFE

RIO - O índice de desemprego no Brasil em março foi de 10,1% da população economicamente ativa, o maior nível nos últimos sete meses, informou nesta quinta-feira o IBGE.

A taxa de desemprego ficou acima do índice de 9,9% de fevereiro, mas abaixo dos 10,4% de março de 2006, segundo o boletim divulgado nesta quinta-feira pelo instituto.

O desemprego, que em dezembro chegou a cair para 8,4%, não era tão alto assim desde agosto de 2006 (10,6%).

De acordo com o IBGE, o número de desempregados em março nas seis maiores regiões metropolitanas do Brasil (Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo), onde o índice é medido, chegou a 2,3 milhões, pouco maior que o de fevereiro.

Já o número de pessoas trabalhando subiu para 20,6 milhões em março, um crescimento de 0,7% frente a fevereiro e de 3,2% em comparação ao mesmo período de 2006.

Isso significa que, nos últimos 12 meses, foram gerados cerca de 641 mil novos postos de trabalho no Brasil.

Quanto ao salário, o IBGE informou que a renda mensal média do trabalhador brasileiro em março nas seis maiores cidades do país foi de R$ 1.109,50, valor praticamente igual ao de fevereiro, mas 5% superior ao do mesmo período de 2006.

O índice de desemprego do instituto mede a porcentagem de pessoas que estão procurando trabalho nas seis maiores cidades brasileiras. A taxa oficial não considera as pessoas que atuam no setor informal, que representam mais da metade dos trabalhadores brasileiros.