Governo reconhece direito de policiais federais a reposição salarial

Agência Brasil

BRASÍLIA - Representantes de agentes, delegados e peritos da Polícia Federal reuniram-se há pouco com o secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça. De acordo com o secretário, o governo reconhece o direito desses servidores ao pagamento da segunda parte da reposição salarial, definida em acordo no ano passado com o então ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos.

Pelo acordo, os policiais deveriam receber um salário com reposição de 30% até dezembro do ano passado. Apesar de ter reconhecido o direito à parcela, Mendonça não definiu um novo prazo para o pagamento.

- O governo não pagou o reajuste em dezembro do ano passado porque não reconhecia o acordo. Se o governo entendesse que tinha que pagar, já teria pago. O documento do ministro Márcio Thomaz Bastos não estipula data. Ele apenas diz que reconhece a demanda. Agora começamos o processo de negociação - afirmou o secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento.

- Nós estamos admitindo negociar as datas com as entidades que representam os policiais federais. Não tem atrasado. O governo não reconhece atrasado nenhum até o momento. Não sei responder se a negociação vai chegar a alguma idéia de atrasado. Agora o impacto final é em torno de R$ 730 milhões.

O presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, Sandro Avelar, considerou o encontro com Sérgio Mendonça importante para que o direito dos policiais federais fosse reconhecido. Segundo ele, uma nova reunião foi marcada para o dia 8 de maio.

No encontro, os servidores da Polícia Federal esperam que a data de pagamento esteja definida e seja iniciado o debate sobre outros pontos da pauta de reivindicações, como criação de plano de carreira.

Com relação ao calendário de greve, os servidores da Polícia Federal pretendem rediscutir as paralisações em assembléias regionais. Não há previsão de greve para os próximos dias.