Equador torna-se 3º país sul-americano a fazer reforma constitucional

Agência Brasil

BRASÍLIA - Em plebiscito realizado no último domingo, o Equador tornou-se o terceiro país sul-americano a entrar num processo de reforma constitucional nesta década, juntando-se a Bolívia e Venezuela.

Quatro em cada cinco eleitores votaram a favor da instalação da Assembléia Constituinte, numa eleição pacífica e com forte participação popular, que encerrou de forma democrática um turbulento período que teve brigas, afastamento de deputados e fechamento do Congresso.

O embaixador do Equador no Brasil, Eduardo Mora-Anda, acha que a elaboração de uma nova Constituição vai possibilitar maior independência entre os poderes da República e uma diminuição do tamanho do Estado - o que ele faz questão de colocar como opinião pessoal. Também mostra ressalvas em relação ao projeto do socialismo do século 21, pregado pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e pelo próprio Rafael Correa, do Equador.