Índios protestam contra plano de desenvolvimento de Lula

REUTERS

BRASÍLIA - Centenas de índios montaram barracas na frente do Congresso brasileiro para protestar contra projetos de infra-estrutura que, segundo afirmam, ameaçam a sobrevivência de suas tribos, que já sofrem devido a doenças e disputas de terra.

Os índios, desde mulheres vestidas apenas com saias de folha a jovens com jeans e camisetas, desembarcaram em Brasília, nesta semana, para apresentar suas reivindicações ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Muitos acreditam que Lula, um ex-sindicalista de esquerda, os abandonou. O dirigente ignorou a maior parte dos pedidos por concessão de terra feitos durante o primeiro mandato dele e, no segundo mandato, propôs obras de infra-estrutura que ameaçam a sobrevivência dos índios, afirmam.

- Esse governo não está nos ajudando, mas sim nos prejudicando. Como você se sentiria se um gasoduto ou uma estrada atravessasse seu jardim? - perguntou Uílton Tuxa, coordenador de tribos indígenas do Nordeste do Brasil.

Os quatro dias de protestos terminam na quinta-feira, quando o Brasil celebra o Dia do Índio.

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), anunciado por Lula em janeiro, prevê a construção de dez barragens, oito linhas de transmissão de energia, sete estradas, três gasodutos e duas estradas de ferro apenas na região amazônica, segundo o grupo ambientalista ISA.