Greve na PF causa incovenientes à população mas pode continuar

Agência JB

BRASÍLIA - O presidente do Sindicato de Delegados da Polícia Federal do Rio de Janeiro, Antônio Ordagi, disse que a paralização de 24 horas iniciada nesta quarta feira pela Polícia Federal pode ter continuidade por mais tempo.

Ordagi afirma que a paralisação causa inconvenientes à população, mas que a categoria está evitando ao máximo prejudicar as pessoas, mantendo serviços considerados emergenciais, inclusive o de combate ao crime.

A polícia federal exige o pagamento da segunda parcela de aumento salarial, fixada em 30%, negociada desde 2005 e já aprovada pelo governo federal.

- Nossa intenção não é prejudicar a população. Por outro lado nós precisamos, também, da compreensão da sociedade - explica Ordagi.

Estão parados o serviço de passaporte e atendimento a estrangeiros, investigações e interrogatórios. Funcionam o plantão para registro de flagrantes, entregas já agendadas de passaporte, principalmente, para quem tem urgência de sair do país por motivo de saúde e a operação padrão de fiscalização no setor de embarque dos aeroportos.