Sem-Terra fecham rodovia Presidente Dutra durante uma hora

Agência Brasil

RIO - Cerca de 100 trabalhadores rurais sem terra fecharam nesta terça feira, durante uma hora, um trecho da Rodovia Presidente Dutra.

O protesto foi organizado para lembrar os 11 anos do episódio que ficou conhecido como massacre de Eldorado de Carajás, quando dezenove agricultores sem terra morreram e 69 ficaram feridos em um confronto no sul do Pará com a Polícia Militar.

Durante a manifestação na Rodovia Presidente Dutra, os trabalhadores rurais ocuparam pistas nos dois sentidos no quilômetro 247, altura do município de Barra do Piraí, no sul do estado. Os manifestantes carregaram cartazes, faixas e 19 cruzes para simbolizar os agricultores mortos em Carajás.

Segundo Luciana Miranda, representante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na região, o objetivo era cobrar a punição dos acusados e reivindicar a reforma agrária.

- Já se passaram onze anos e nenhum dos acusados foi condenado. Trancamos a Dutra para relembrar a data e cobrar reforma agrária. Em todo o país, e aqui no Rio também, queremos lembrar a população e os governos que é necessário fazer essa reforma. Conversamos com os motoristas para conscientizar sobre essa questão - explicou a agricultora.

Durante todo o protesto, agentes da Polícia Rodoviária Federal permaneceram no local para garantir a segurança dos manifestantes e organizar o trânsito. Em seguida, os agricultores marcharam pela margem da rodovia em direção ao centro da cidade de Piraí, onde farão um novo protesto.

Desde o último sábado, o MST realiza uma série de manifestações em todo o país para lembrar a data, cobrar a punição dos envolvidos e reivindicar avanços na reforma agrária.