Lula e filho absolvidos de acusação de lavagem de dinheiro e tráfico de influência

A Justiça Federal de São Paulo arquivou o processo

Reprodução de vídeo
Credit...Reprodução de vídeo

A investigação tinha sido iniciada após delação premiada de Emílio Odebrecht e Alexandrino Alencar, ex-executivo da construtora Odebrecht, que citaram uma suposta troca de favores entre Lula e executivos da empreiteira.

De acordo com o juiz que assinou a sentença, Diogo Paes Moreira, da 6ª Vara Federal de São Paulo, à época dos fatos narrados, em 2011, Lula não era mais presidente, e, para que o caso configurasse corrupção passiva, seria necessário que a suposta vantagem recebida fosse decorrente de sua função pública.

"No caso concreto, o investigado [Lula] não era mais agente público e a suposta solicitação de vantagem não decorreu da condição de agente público. Ou seja, a suposta 'troca de favores' não tinha por pressuposto a sua presença ou atuação na condição de presidente da República. Assim sendo, os fatos não se enquadram no tipo penal da corrupção", escreveu Moreira.

Sem provas concretas
Segundo os depoimentos da delação premiada, Lula teria pedido uma ajuda financeira para que o filho iniciasse carreira como empresário. O favor teria sido prestado por meio do financiamento de um projeto de marketing esportivo para promoção do futebol americano no Brasil.

Em troca, Lula teria facilitado o relacionamento entre Marcelo Odebrecht, então presidente do grupo, e a presidente Dilma Rousseff.

O juiz também afirmou que não havia provas concretas dos atos narrados pelos delatores, como a assinatura de contratos, decisões em licitações e realização de pagamentos.

Lula foi condenado no Superior Tribunal de Justiça no caso do triplex do Guarujá, onde aguarda recurso, e em segunda instância na ação do sítio de Atibaia. Ele ainda é réu no Paraná no caso do terreno para o Instituto Lula, e na Justiça Federal do Distrito Federal em três ações penais. Em sete processos Lula foi absolvido ou teve os casos arquivados.

Só na Lava Jato Lula 'foi condenado'
Segundo a defesa do ex-presidente, "apenas na Lava Jato de Curitiba Lula foi condenado, porque não teve direito um julgamento justo e imparcial — conforme amplamente demonstrado pela defesa técnica em recursos sobre o mérito que tramitam nos tribunais e também em dois habeas corpus pendentes de análise pelo STF que tratam da suspeição do ex-juiz Sergio Moro e dos procuradores".(com agência Sputnik Brasil)