Ministro do STJ mantém prisão da ex-deputada Cristiane Brasil

O ministro Joel Ilan Paciornik, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), decidiu nessa terça-feira (22) manter a prisão da ex-deputada federal Cristiane Brasil (PTB).

Paciornik negou um habeas corpus protocolado pela defesa da pré-candidata à Prefeitura do Rio de Janeiro.

"Verificando-se a extensa e robusta fundamentacao trazida na decisao que manteve a prisao preventiva da paciente, em analise perfunctoria nao verifico a existencia de teratologia apta a justificar seu afastamento", escreveu o ministro.

Cristiane Brasil se entregou às autoridades no último dia 11, após ser alvo da Operação Catarata, que investiga supostos desvios em contratos de assistência social no governo do estado e na Prefeitura do Rio entre 2013 e 2018.

Segundo informações publicadas pelo portal G1, a organização criminosa era composta por três núcleos, o empresarial, o político e o administrativo, atuando para que fossem direcionadas licitações no município do Rio e no estado, visando à contratação fraudulenta das empresas, mediante o pagamento de propina a servidores públicos, que variava de 5% a 25% do valor do contrato.

Cristiane Brasil é filha do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson.(com agência Sputnik Brasil)