Adélio agiu sozinho em atentado contra Bolsonaro, diz MPF ao pedir arquivamento provisório de 2º inquérito

Adélio Bispo de Oliveira “concebeu, planejou e executou sozinho” o atentado à faca ao então candidato a presidente Jair Bolsonaro, em 6 de setembro de 2018 em Juiz de Fora (MG), disse o Ministério Público Federal à Justiça em manifestação que pede o arquivamento provisório do segundo inquérito que apura uma eventual participação de terceiros no caso, segundo comunicado divulgado pelo órgão nesta quinta-feira.

Macaque in the trees
Adélio Bispo de Oliveira é escoltado por agentes da Polícia Federal em Juiz de Fora (Foto: Reuters/Ricardo Moraes)

Há três semanas, a Polícia Federal já havia tido a mesma conclusão, de que Adélio agiu sozinho e sem mandantes para cometer o crime, segundo disse na ocasião à Reuters uma fonte com conhecimento direto sobre o relatório parcial do segundo inquérito que investigou o caso.

A conclusão parcial tanto da PF quanto do MPF contraria o que Bolsonaro tem dito em entrevistas públicas, de que outras pessoas tiveram envolvimento no crime. O presidente sempre se queixou das investigações do caso —no mês passado, por exemplo, defendeu novas apurações.(Reuters)