Nunes Marques, do STF, permite que Witzel não compareça à CPI, mas ele diz que vai

Depoimento acontece nesta quarta (16), e governador do Rio teria bala de prata contra Bolsonaro

Foto: AP Photo / Silvia Izquierdo
Credit...Foto: AP Photo / Silvia Izquierdo

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Kassio Nunes Marques, sempre ele, concedeu na noite desta terça-feira (15) ao ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel o direito de não comparecer à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 no Senado.

A oitiva está marcada para esta quarta-feira (16) e ainda permite que, caso deseje comparecer, Witzel poderá ficar calado, não precisará assumir o compromisso de dizer a verdade durante o depoimento e poderá levar seu advogado para a sessão.

Segundo Nunes Marques, Witzel já é investigado judicialmente pelo que a CPI deseja investigar, por isso, ele não precisa produzir provas contra si mesmo.

Porém, o vice-presidente da Comissão, senador Randolfe Rodrigues, informou que o ex-governador fluminense confirmou que comparecerá à sessão.

Em diversas entrevistas, o político vinha dizendo que tinha vontade de ir à CPI para falar sobre o assunto, mas foi orientado a se limitar nas informações porque poderia se prejudicar no processo penal.

Fala-se que o ex-governador fará um elo da família Bolsonaro com a milícia do Rio.

Quem viver, verá!

(Informe JB com agência Ansa)