Movimento espontâneo tenta 'virar voto' para Haddad no Rio

Na véspera do segundo turno, o Rio de Janeiro teve o dia marcado por pequenas manifestações políticas a favor dos candidatos à Presidência. Apoiadores do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, fizeram carreata na praia de Icaraí, em Niterói.

Mas o que chamou atenção foi a ação de voluntários e artistas que, em diversos cantos da capital carioca, ofereciam bolo e café em troca de uma conversa com os indecisos. Famosos como Letícia Sabatella, Letícia Colin, Luísa Arraes, Mariana Lima, Patrícia Pilar, Maria Flor, Paulo Betti e Enrique Diaz foram às ruas na sexta-feira conversar com quem ainda não havia definido o voto. O movimento espontâneo, chamado de “Vira Voto”, que se estendeu até ontem, foi para reafirmar a manifestação contrária à Jair Bolsonaro e a favor de Fernando Haddad (PT). Pela manhã, o chamado ela para o Metrô da Barra, Largo do Machado e Praça XV.

Os grupos se sentem motivados pelo fato de a abstenção no primeiro turno ter sido recorde - quase 30 milhões de pessoas no país, ou 20,3% do eleitorado, o maior índice desde 1998. Também pelos votos nulos e brancos terem somado 8,79%.

No Instagram, o perfil "Vira Voto", com 350 mil seguidores, reúne histórias bem-sucedidas de votos novos a Haddad em barraquinhas, conversas em botecos, corridas de Uber e até em ligações com atendentes de operadoras de telefonia.