Jornal do Brasil

País - Eleições 2018

PSB apoia Haddad; PTB fica com Bolsonaro

PSDB, Novo, DEM e PP decidiram ficar neutros no segundo turno;

Jornal do Brasil

Os integrantes da Executiva Nacional do PSB decidiram nesta terça-feira (9) que a sigla apoiará oficialmente Fernando Haddad, do PT, no segundo turno da eleição presidencial. Os diretórios do Distrito Federal e de São Paulo, no entanto, foram liberados para se posicionarem de forma independente. O Psol também declarou oficialmente seu apoio ao petista. Já o PTB decidiu apoiar Jair Bolsonaro (PSL). A decisão foi comunicada após reunião da executiva nacional da sigla, presidida por Roberto Jefferson.

O PSDB, o partido Novo e o PP informaram que não devem apoiar nenhum candidato. Já o Solidariedade deve liberar seus integrantres, majoritariamente favoráveis a Haddad.

"Não apoiaremos nem o PT nem o candidato Bolsonaro. O PSDB decidiu liberar seus militantes e seus líderes", anunciou o presidente da legenda, Geraldo Alckmin após reunião da executiva nacional que ocorreu na sede do partido, em Brasília. 

Macaque in the trees
Candidatos à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) (Foto: Agência Brasil)

"O Novo não apoiará nenhum candidato à Presidência, mas somos absolutamente contrários ao PT, que tem ideias e práticas opostas às nossas", diz nota enviada à imprensa. PP comunicou a postura "de absoluta isenção e neutralidade". "O eleitor quer tomar sua decisão sem que qualquer outro aspecto, que não os candidatos, sejam levados em consideração como critério de escolha", diz o documento. 

PTB

O PTB anunciou nesta tarde apoio ao capitão reformado. "Acreditamos que Jair Bolsonaro trabalhará para que o nosso país volte aos trilhos do desenvolvimento social e econômico, e pela pacificação e união do povo brasileiro", informou a sigla em nota. O partido elegeu 10 deputados federais nas eleições de domingo.

PSB

o anunciar a decisão de apoiar Haddad, o presidente do PSB, Carlos Siqueira, afirmou, no entanto, que o partido cobrará do petista a formação de uma frente democrática envolvendo, além de partidos políticos, atores da sociedade civil.

"No momento difícil que vive o País, queremos que a candidatura se transforme em uma frente democrática. Não estamos apoiando o candidato do PT, mas sim quem vai liderar essa frente para defender a democracia", afirmou Siqueira.

Psol

Em rápida fala após reunião de cerca de uma hora com Haddad e a executiva do PT, Guilherme Boulos afirmou que o Brasil está em uma encruzilhada entre a "democracia e o autoritarismo, entre a barbárie e a civilização". De acordo com ele o apoio incondicional era o único possível, já que Haddad é o "lado da democracia e dos direitos sociais".

PRB

O PRB decidiu na noite desta terça-feira (9), liberar seus filiados no segundo turno para fazer campanha para o candidato do PSL a presidente da República, Jair Bolsonaro, ou para o presidenciável do PT, Fernando Haddad. A maior parte da bancada parlamentar, no entanto, prefere e pretende se engajar na campanha de Bolsonaro. O líder do PRB, deputado Celso Russomanno, terceiro mais votado em São Paulo, gravará um vídeo de apoio a Bolsonaro, a pedido do presidenciável.



Recomendadas para você