Em debate de SP, Sabesp emerge como tema no segundo bloco

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) entrou no centro do debate entre candidatos ao governo paulista da TV Globo.

Em uma questão sobre saneamento básico, João Doria (PSDB) e Paulo Skaf (MDB) defenderam que o controle da Sabesp permaneça com o governo do Estado. O tucano afirmou que a empresa faz um bom trabalho, mas o emedebista disse que é preciso melhorar a qualidade dos serviços prestados.

"Sabesp e outras companhias coletam esgoto mas não tratam. Em média, eu diria que 40% não é tratado. É como a dona de casa passando aspirador e alguém sujando a sala com um saco de areia", ironizou.

Em outro ponto do segundo bloco, Luiz Marinho (PT) disse que há candidatos que dizem ser contra a privatização da Sabesp, mas que já declararam o contrário, sem citar nomes.

O petista também disse que, se eleito, a Sabesp somente vai voltar a pagar dividendos aos acionistas estrangeiros se tratar todo o esgoto do Estado.

"A Sabesp comete um crime todos os dias. A política da Sabesp determinada pelo governo do Estado é irresponsável. 32% de desperdício de água. Sabesp não trata 45% do esgoto. Coletado e jogado in natura nos rios", acusou.