Jornal do Brasil

País - Eleições 2018

Aceno a mulheres e ataques a Bolsonaro e Haddad ganham considerações finais

Jornal do Brasil

O aceno a mulheres e os ataques à polarização entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) tomaram boa parte das considerações finais de candidatos à Presidência no debate promovido pela TV Record entre a noite de domingo e a madrugada desta segunda-feira, 1.

Geraldo Alckmin (PSDB) e Fernando Haddad (PT) aproveitaram para cumprimentar as mulheres, em referência às manifestações femininas contrárias a Bolsonaro, que lidera pesquisas de intenção de voto para o primeiro turno da disputa.

"As mulheres terão um papel preponderante neste novo Brasil que vai sair das urnas", disse Alckmin, citando sua candidata a vice, Ana Amélia (PP). Além disso, o tucano reforçou que é preciso unir o País contra extremos e fazer a virada na última semana antes do primeiro turno.

Haddad fez referência aos movimentos de mulheres contra Bolsonaro e enalteceu a mulher "que foi às ruas ontem (sábado) pedir paz, democracia e exigir seus direitos garantidos na constituição.

O candidato também relembrou o passado petista e os empregos criados durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sem deixar de alfinetar Bolsonaro. "A imagem que eu vislumbro é das brasileiras e dos brasileiros com a carteira assinada e com livro na mão, não com armas".

Já Ciro Gomes atacou a tese do voto útil. "Quero me dirigir a você que vota no Bolsonaro porque não quer o PT, ou que vota no PT porque não quer o Bolsonaro... Eu entendo vocês, mas se isso continuar acontecendo, a única certeza dessas eleições é que a crise vai continuar", afirmou, ao pedir a oportunidade para reconciliar o País.

Na mesma direção de Ciro, Guilherme Boulos (Psol) disse que no primeiro turno o eleitor deve votar em quem acredita. "Eleição não é corrida de cavalo que você escolhe quem está em primeiro lugar".

Marina, única mulher na disputa, usou seu tempo final para se posicionar como alternativa para unir o Brasil. "Estou aqui para oferecer a outra face de um País desunido por PT e Bolsonaro", disse. Alvaro Dias, do Podemos, retomou sua defesa da refundação da república e defendeu o combate à corrupção.

Cabo Daciolo cumprimentou sua vice, Suelene Balduino Nascimento, nas considerações finais. Otimista, disse que acredita em "sinais" e destacou que faltam sete dias para o primeiro turno. O candidato fez uma oração para "expulsar" o Satanás do Brasil.

 



Recomendadas para você