Jornal do Brasil

País - Eleições 2018

Alckmin sofre pressão para atacar mais o PT

Jornal do Brasil

O presidenciável do PSDB, Geraldo Alckmin, está sendo pressionado por tucanos e integrantes do Centrão a mudar a estratégia de campanha após recente divulgação de pesquisas de intenção de votos. Na do Ibope do dia 11, Alckmin tinha 9% das intenções de votos, oscilando negativamente um ponto percentual em comparação com o levantamento anterior. “O foco principal do PSDB não deve ser o (candidato do PSL, Jair) Bolsonaro, mas o PT”, disse o ex-governador e ex-presidente nacional do PSDB Alberto Goldman. O tucano, que atualmente é secretário de relações internacionais do PSDB, foi, no sábado, ao comitê central da campanha de Alckmin, no centro de São Paulo, para tentar convencer o candidato a mudar de estratégia.

Como Alckmin estava em campanha, a conversa deve ocorrer ao longo da semana. Após Bolsonaro ser esfaqueado na semana retrasada, a campanha de Alckmin suspendeu os ataques ao candidato do PSL nas inserções de TV, rádio e internet. A trégua, porém, durou pouco. A avaliação de que a esquerda deve emplacar um nome no segundo turno fez a campanha tucana retomar a ofensiva contra Bolsonaro, sobretudo nas inserções de rádio - Alckmin tem 12 comerciais por dia.

“O nosso inimigo é o PT, não é outro. Os ataques do Bolsonaro precisam ser menos pesados do que o confronto com o PT, que é essencial”, disse Goldman. Segundo ele, os votos do PSDB “fluíram” para Bolsonaro porque o eleitor tucano entendeu que essa era a melhor forma de derrotar o PT. “Esse votos voltarão quando a população perceber que a melhor forma de derrotar o PT é o voto no Geraldo”. (Estadão Conteúdo)



Recomendadas para você