Jornal do Brasil

País - Eleições 2018

Sem Lula, Bolsonaro lidera e Haddad cresce

Na primeira pesquisa após atentado, Datafolha mostra Ciro em segundo

Jornal do Brasil

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) cresceu dois pontos percentuais e lidera a corrida presidencial com 24% das intenções de voto, segundo pesquisa Datafolha divulgada ontem. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) está em segundo lugar com 13%, seguido pela ex-ministra Marina Silva (Rede), com 11%. Empatado tecnicamente com Marina e Ciro, estão o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) com 10%, e o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) com 9%. A margem de erro é estimada em 2% para mais e para menos.
Alvaro Dias (Podemos) aparece com 4%, João Amoêdo (Novo) soma 3% e Henrique Meirelles (MDB) também. Guilherme Boulos (PSOL), Cabo Daciolo (Patriota) e Vera Lúcia (PSTU) têm 1% cada. Neste cenário, o índice de votos brancos e nulos é de 15%. Os que não sabem ainda em quem votar são 7%.
Esta é a primeira pesquisa sem o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e depois do atentado sofrido por Bolsonaro em Juiz de Fora (MG).
Lula, que está preso em Curitiba desde abril e liderava as pesquisas de intenções de voto, teve sua candidatura rejeitada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com todos os recursos impetrados pela defesa recusados. O partido deve lançar hoje o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como cabeça da chapa, ao lado de Manuela D’Avila (PCdoB) como vice.
São quatro semanas para Haddad entrar na campanha petista até o primeiro turno das eleições, que ocorre no dia 7 de outubro.
O líder Jair Bolsonaro tem, por outro lado, o maior índice de rejeição, com 43%. A resistência é maior entre as mulheres (49%), entre os mais jovens (55%), entre eleitores com curso superior (48%) e no Nordeste (51%). Depois dele, vêm Marina (29%), Alckmin (24%) e Ciro (20%). Haddad soma 22% nesse quesito.
O mau desempenho do deputado nas simulações feitas pelo Datafolha para o segundo turno é explicado pelo alto índice de rejeição. De acordo com os cenários estudados, ele perderia para Alckmin, Marina e Ciro e chegaria à segunda rodada da eleição empatado com Haddad se ela fosse realizada hoje. Marina e Alckmin teriam 43% no confronto com Bolsonaro, que oscila de 34% para 37%, respectivamente. Ciro alcançaria 45% e o ex-capitão teria 35%. Com Haddad, teria 39% e o petista, 38%.
Na última pesquisa do Datafolha, divulgada no dia 22 de agosto, Lula liderava com 39% das intenções de voto. Sem o ex-presidente, Bolsonaro tinha 22%, Marina, 16%, Ciro, 10%, Alckmin, 9%, e Haddad, 4%. Marina foi a única que sofreu queda de 5%, enquanto Haddad subiu 5%.
O Datafolha entrevistou, ontem, 2.804 eleitores de 197 municípios. A pesquisa foi realizada em parceria com a TV Globo. O nível de confiança é de 95%.
O Ibope também divulgou pesquisas regionais para as eleições presidenciais no Rio de Janeiro e São Paulo. No Rio, Bolsonaro passou dos 25% registrados em agosto, para 33% das intenções de voto, seguido de Marina (11%) e Ciro (10%).
Já em São Paulo, o candidato do PSL cresceu apenas um ponto percentual, de 22% para 23%, e fica à frente de Alckmin, com 18%, e de Ciro Gomes, com 11%. Em quarto vem Haddad, que subiu de 5% para 7%.



Recomendadas para você