Jornal do Brasil

País - Artigo

Trabalhar de casa: primeiros passos para o sucesso no home office

Jornal do Brasil LUGAS PAGANINI

Trabalhar de casa se tornou uma realidade para muitos brasileiros nos últimos meses, o que quer dizer que estar preparado para transformar o ambiente caseiro em ambiente de escritório se tornou uma necessidade. Ainda assim, pode ser muito complicado se adaptar ao lar que se transformou em trabalho e vice-versa.

Macaque in the trees
Transformar a casa em escritório pode representar desafios, principalmente no longo prazo (Foto: Pixabay)

Um bom passo inicial é preparar um espaço próprio para as funções profissionais. Claro que ter uma sala vazia só esperando para se tornar o home office é um luxo do qual nem todos dispõem, mas isso não quer dizer que não seja possível ter um lugar específico no qual as atividades de trabalho serão feitas, de modo a separar a vida pessoal da vida profissional.

Igualmente importante é certificar-se de que você tenha o equipamento apropriado para as suas atividades estando em casa também – e muitas vezes isso pode incluir pontos pequenos e que podem passar despercebidos, como programas específicos de computador que talvez não estejam presentes no seu laptop ou desktop caseiro. Pode ser o caso do pacote Office, o leitor PDFelement ou qualquer outro software com o qual você esteja habituado no ambiente externo de trabalho e que eventualmente possa estar faltando na máquina de casa.

No caso do PDFelement, a “pilha de PDFs” pode ficar realmente chocante, já que documentos, e-mails, apresentações e outros conteúdos virão nesse formato e encherão seu computador. É preciso saber como organizar isso com o software assim como saber organizar sua mesa de trabalho.

Espaço e organização

Um dos erros mais fáceis de se cometer quando o home office passa a ser uma realidade cotidiana é não saber separar tempo e espaço do que é pessoal e do que é profissional. Embora muitas vezes seja inevitável correr do computador para a cozinha para preparar uma refeição para si próprio ou para a família, isso não quer dizer que os espaços casa/trabalho devem se tornar uma coisa só.

Procure por um ambiente da casa que seja ao mesmo tempo tranquilo, confortável e, de preferência, que possa oferecer o mínimo de privacidade. Em tempos em que o ambiente caseiro tende a estar com todos os seus ocupantes ao mesmo tempo, uma porta fechada pode ser a diferença entre a concentração e sons e movimentos que tiram a produtividade mesmo dos mais compenetrados.

Uma dica valiosa é tentar emular o ambiente de escritório de todas as maneiras que forem possíveis, mesmo nas menores. Se você teve a oportunidade, por exemplo, de levar o mouse ou o monitor extra do trabalho para o home office a tendência é que o choque da mudança seja bem menor. O mesmo vale para os programas usados no dia a dia, no caso de quem trabalha online, claro.

Rotina

Acordar mais tarde e saber que não será preciso encarar ônibus, metrô ou trânsito é meio caminho andado para se cair na tentação de que não existe rotina e, por consequência, não existe disciplina no esquema home office. Esse pode ser um dos itens mais complicados de driblar numa situação dessas.

A melhor estratégia pode ser justamente tentar transformar a rotina, ao invés de desistir dela. Isso começa literalmente no momento em que se acorda. Uma ideia é, além dos hábitos já estabelecidos em qualquer época, tentar replicar ou criar uma nova versão do que representa se preparar para o trabalho, isto é, tomar um banho, tirar o pijama, fazer uma boa refeição e assim por diante.

Uma vez na frente da estação de trabalho caseira, seja ela como for, faça um esforço para se lembrar de que, embora o ambiente ao redor seja em casa, as obrigações não diminuíram só porque a vigilância diminuiu. É justamente por causa disso que muita gente se vê trabalhando horas-extras que seriam incomuns em tempos normais de trabalho presencial.

O resumo da ópera é simples, no fim das contas: separe o ambiente casa do ambiente trabalho, mesmo quando eles sejam fisicamente o mesmo. Crie horários e respeite-os, da mesma maneira que você se veria obrigado a fazer no escritório. A transição mais confortável, porém, é a feita de maneira mais suave, por isso fique ligado na qualidade do computador e conexão de internet, licença de programas e tudo mais que possa afetar a performance.

Lucas Paganini é jornalista