Três verdades aos jovens

Como não pensar no futuro dos nossos jovens? Ou nos jovens do nosso futuro? Mas o Papa Francisco vai além, e nos diz que os jovens são o agora! No final do mês passado, o pontífice lançou um documento ao jovens composto por nove capítulos. Neles, o Papa explica que se deixou inspirar pela riqueza das reflexões e diálogos do Sínodo dos jovens, celebrado no Vaticano em outubro de 2018.


“Cristo vive: é Ele a nossa esperança e a mais bela juventude deste mundo! Tudo o que toca se torna jovem, fica novo, se enche de vida. Por isso as primeiras palavras, que quero dirigir a cada jovem cristão, são estas: Ele vive e te quer vivo!” Assim começa a Exortação Apostólica pós-sinodal "Christus vivit" do Papa Francisco, assinada segunda-feira, 25 de março.


Ser jovem, mais do que uma idade, é um estado do coração. Assim, uma instituição antiga como é a Igreja pode se renovar e voltar a ser jovem em cada uma das várias fases da sua longa história. No coração da Igreja resplandece Maria. É o grande modelo para uma Igreja jovem, que deseja seguir Cristo com frescor e docilidade. Era ainda muito jovem quando recebeu o anúncio do anjo, mas tinha uma alma disponível e deu o seu sim.


O Papa Francisco insisti em colocar os jovens como “o agora de Deus”. Segundo ele, não podemos nos limitar a dizer que os jovens são o futuro do mundo: são o presente, estão a enriquecer a sociedade com a sua contribuição. Um jovem já não é uma criança, se encontra em um momento da vida em que começa a assumir várias responsabilidades, participando com os adultos no desenvolvimento da família, da sociedade, da Igreja.


No documento o Papa faz um anúncio aos jovens, independente do momento que esteja vivendo. Ele anuncia três grandes verdades que nunca deveriam silenciar, não podem ser esquecidas. São três grandes verdades que todos deviam sempre escutar novamente, e que darão novo ânimo à juventude.
A primeira verdade é que Deus é amor. Mesmo que já você já tenha ouvido – não importa! – temos sempre que recordar: Deus nos ama. Nunca duvide disso, aconteça o que acontecer. Em toda e qualquer circunstância, somos infinitamente amado.


A segunda verdade é que, por amor, Cristo se entregou até ao fim para nos salvar. Os seus braços abertos na cruz são o sinal mais precioso de um amigo capaz de levar até ao extremo o seu amor.
Mas há uma terceira verdade, que é inseparável da anterior: Ele vive! É preciso recordar com frequência, porque corremos o risco de tomar Jesus Cristo apenas como um bom exemplo do passado, como uma recordação, como Alguém que nos salvou há dois mil anos. Temos sempre que recordar que Aquele que nos enche com a sua graça, Aquele que nos liberta, Aquele que nos transforma, Aquele que nos cura e consola é Alguém que vive.


Nestas três verdades (Deus é amor, Cristo é o teu salvador, Ele vive), aparece Deus Pai e aparece Jesus. Mas, onde estão o Pai e Jesus Cristo, também está o Espírito Santo. É Ele que prepara e abre os corações para receberem este anúncio, é Ele que mantém viva esta experiência de salvação, é Ele que nos ajudará a crescer nesta alegria se o deixarmos agir.
Jovens ou não, todos temos que ter sempre em mente esse anúncio. Se nos deixarmos amar, conversarmos com Cristo vivo sobre as coisas concretas da vida, tudo irá fluir melhor. Cristo vivo sobre as coisas concretas da nossa vida, esta é uma grande experiência, a experiência fundamental que nos faz ser melhores!