O agora de Deus

Já parou para pensar como Deus se faz presente em sua vida? Nem sempre acreditamos que Deus possa ser tão concreto no dia-a-dia, tão próximo e real, e menos ainda que se faça assim presente agindo através de alguém conhecido, como um amigo, um vizinho, um parente. Nem sempre acreditamos que o Senhor possa nos convidar a trabalhar e meter as mãos na massa juntamente com Ele no seu Reino de forma tão simples mas incisiva.

Não é raro preferimos um Deus à distância: bom, generoso, mas distante e sobretudo que não incomode. Porque um Deus próximo no dia-a-dia, um Deus amigo e irmão nos pede para aprendermos proximidade, presença diária e, sobretudo, fraternidade.

Só que Deus não quis se manifestar de modo angélico ou espetacular, mas quis se oferecer para nós com um rosto fraterno e amigo, concreto, familiar. Deus é real, porque o amor é real; Deus é concreto, porque o amor é concreto. E é precisamente esta dimensão concreta do amor aquilo que constitui um dos elementos essenciais da vida dos cristãos.

Assim falou o Papa Francisco aos jovens durante a missa de encerramento da Jornada Mundial da Juventude, realizada no mês passado, no Panamá. Ele explicou que muitas vezes os jovens pensam que a missão deles é uma promessa mas que vale só para o futuro, nada tem a ver com o presente. Como se ser jovem fosse sinônimo de "sala de espera" para quem aguarda que chegue o seu turno. E, enquanto este não chega, inventam um futuro higienicamente bem embalado e sem consequências, bem construído e com tudo muito bem assegurado.

E com esta ficção da alegria os jovens ficam tranquilos, são instruídos a não fazerem barulho, a aguardar. E não se envolvem na construção do amanhã. Entretanto, os sonhos perdem altitude, tornam-se rasteiros, começam a adormentar-se e ficam ilusões pequenas e tristes, só porque consideramos que o agora ainda não chegou.

Se faz necessário a escuta entre gerações, valorizar a riqueza do intercâmbio e reconhecer que precisamos uns dos outros, que devemos nos esforçar para promover canais e redes onde nos comprometamos a sonhar e construir o amanhã, já hoje. Não isoladamente, mas unidos, criando um espaço em comum: um espaço que não nos é oferecido como prêmio, nem o ganhamos na loteria, mas um espaço pelo qual devemos buscar todos os dias.

Jovens, adultos, crianças, idosos, todos devemos lutar pelo nosso espaço hoje, porque a vida é hoje. Ninguém pode te prometer um dia do amanhã: a sua vida é hoje, o seu desafio é hoje, o seu espaço é hoje.

O Papa Francisco insistiu que os jovens não são o futuro. As pessoas costumam dizer que os jovens são o futuro... Mas não é verdade! Os jovens são o presente! Não são o futuro de Deus; são o agora de Deus, pois, onde agora está o seu tesouro, aí está também o seu coração e, aquilo que te apaixona, conquistará não apenas a sua imaginação, mas envolverá em tudo. Será aquilo que nos faz levantar de manhã e incita nos momentos de cansaço, aquilo que nos abrirá o coração enchendo-o de maravilha, de alegria e de gratidão.

Temos como exemplo Maria. Ela não se limitou a acreditar em Deus e nas suas promessas como algo possível, mas acreditou em Deus e teve a coragem de dizer sim para participar neste agora do Senhor. Que possamos também confiar que temos uma missão hoje e Deus decidirá tudo.

* Pároco da Paróquia de São José da Lagoa

e reitor do Cristo Redentor