Jornal do Brasil

País - Artigo

Estilo de alimentação dos pais influenciam na saúde dos filhos

Jornal do Brasil

Pode parecer um exagero, mas os estudos recentes têm demonstrado que o estilo de vida e alimentação dos pais influenciam duas gerações futuras. Você não pode controlar tudo no que se refere a você e à saúde de seus filhos, porém, cada vez mais estamos descobrindo fatores que podem estar sob nosso controle.

Eu, particularmente, tenho trabalhado há anos preparando os casais, mostrando-lhes a importância da desintoxicação dos metais pesados, tão presentes no mundo moderno – e que são transmitidos aos bebês pela barreira placentária, originados das contaminações maternas e paternas.

Entendo que isso já deveria fazer parte da tradicional avaliação pré-nupcial. Com isso, consegue-se oferecer maiores condições de saúde e menores riscos de doenças desencadeadas pela presença desses metais tóxicos. É imperativa uma avaliação, se possível, com antecedência ao projeto de ter filhos. Atualmente se sabe que as escolhas de saúde e estilo de vida de mulheres grávidas afetam a saúde deles. E não são só as condições da mãe… As do pai também!

É importante lembrar que, segundo a epigenética, você está preso por predisposições genéticas, o que corresponde a cerca de 10% de influência nos seus genes. Os outros 90% são influenciados pelo ambiente e pelo padrão alimentar, portanto, faça escolhas saudáveis. Além disso, você pode alterar sua expressão genética com base no seu estilo de vida, gerando proteção extra contra certos problemas de saúde ou aumentando as possibilidades das tendências genéticas desfavoráveis se pronunciarem.

Segundo estudo publicado no “Faseb Journal”, os espermatozoides de pais obesos podem aumentar o risco de obesidade e diabetes para seus filhos e netos, mesmo que se alimentem corretamente.

1. Defeitos ao nascimento

O folato (vitamina B9) é importante para a saúde cerebral, neurológica, o desenvolvimento da memória e aprendizado, além de outros processos cognitivos. Segundo um estudo canadense, a deficiência de folato em pais pode resultar em risco de defeitos genéticos. Foi mostrado que o esperma traz uma “memória” do ambiente do pai e, possivelmente, mesmo de sua dieta e opções de estilo de vida para o embrião. Na pesquisa, houve um aumento de quase 30% nos defeitos congênitos na prole gerada por pais cujos níveis de folato eram baixos.

2. Obesidade

Há uma correlação clara entre dieta de uma mãe expectante e incidência maior de sobrepeso nos seus filhos. Um estudo envolvendo mais de 40 mil mulheres e seus 91 mil descendentes conecta os pontos entre ganho de peso materno e obesidade infantil. Os filhos das mães que apresentaram maior peso na gravidez apresentaram um IMC de 0,43 kg / m2 maior, em média, do que aqueles cujas mães ganharam menos peso.

Portanto, o seu bebê não depende de uma roleta genética onde você pode tirar a sorte grande, pois a epigenética mostra que as escolhas de estilo de vida de ambos os pais parecem afetar a saúde das crianças a longo prazo e até mesmo dos netos. Bons hábitos podem sim evitar problemas futuros! Pais, é hora de assumir mais responsabilidades pela saúde, mesmo antes de ter filhos. Assim teremos muito mais chances de dar o melhor presente a nossos filhos e netos: saúde e longevidade!

*Médico e nutrólogo

 



Recomendadas para você