Brasil registra 672 mortes por covid-19 em 24 horas

Em 24 horas foram confirmados 59.253 diagnósticos positivos para a cov

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
Credit...Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O Brasil registrou 651.927 mortes causadas por complicações associadas à covid-19. De ontem (4) para hoje (5), foram registrados 672 óbitos.

Ainda há 3.124 mortes em investigação. As mortes em investigação ocorrem pelo fato de haver casos em que o paciente faleceu, mas a investigação se a causa foi covid-19 ainda demandar exames e procedimentos posteriores.

Já a soma de pessoas infectadas desde o início da pandemia chegou a 29.033.052. Em 24 horas foram confirmados 59.253 diagnósticos positivos para a covid-19.

A quantidade de casos em acompanhamento está em 1.398.831 O termo é dado para designar casos notificados nos últimos 14 dias que não tiveram alta nem evoluíram para morte.

Até hoje, 26.982.294 pessoas se recuperaram da covid-19. O número corresponde a 92,9% dos infectados desde o início da pandemia.

Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado nesta quinta-feira (3). Nele, são consolidadas as informações enviadas por secretarias municipais e estaduais de Saúde sobre casos e mortes associados à covid-19.

Os números em geral são menores aos domingos, segundas-feiras ou nos dias seguintes aos feriados em razão da redução de equipes para a alimentação dos dados. Às terças-feiras e dois dias depois dos feriados, em geral há mais registros diários pelo acúmulo de dados atualizado.

 

Estados

Segundo o balanço do Ministério da Saúde, no topo do ranking de estados com mais mortes por covid-19 registradas até o momento estão São Paulo (165.275), Rio de Janeiro (71.947), Minas Gerais (59.875), Paraná (42.474) e Rio Grande do Sul (38.488).

Já os estados com menos óbitos resultantes da pandemia são Acre (1.980), Amapá (2.113), Roraima (2.134), Tocantins (4.112) e Sergipe (6.266).

Macaque in the trees
. (Foto: Ministério da Saúde)



.
O mercado de trabalho está absorvendo trabalhadores com menor nível de escolaridade e de maneira informal, o que aumenta a incerteza


Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais