Brasil registra 1.382 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, maior número desde agosto de 2020

.

Foto: reprodução
Credit...Foto: reprodução

O Brasil registrou 1.382 novas mortes pela covid-19 e 64.126 novos casos da doença nessa quarta-feira (20). Com isso, o país chegou a 212.893 óbitos e a 8.639.868 de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

O número de óbitos registrados nessa quarta-feira (20) é o maior registrado em 24 horas desde o dia 4 de agosto, quando a marca foi de 1.394.

De acordo com os dados coletados até as 20h, divulgados pelo consórcio de imprensa, a média móvel de mortes nos últimos sete dias é de 983. O valor da média representa um aumento de +33% em relação aos dados de 14 dias atrás.

Já a média móvel de casos nos últimos sete dias foi de 54.630 novos diagnósticos por dia. O número representa uma variação de +50% em relação aos casos registrados em duas semanas.

Os dados mostram que 12 estados estão com alta nas mortes: Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Amazonas, Roraima, Rondônia, Tocantins, Alagoas, Pernambuco e Sergipe.

O Brasil vive nesta semana um impasse em relação à importação do insumo farmacêutico ativo (IFA), que vem da China, usado na fabricação da CoronaVac e da vacina de Oxford/AstraZeneca, ambas aprovadas para uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Nessa quarta-feira (20), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), teve uma reunião com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, para discutir o envio dos insumos.

Na terça-feira (19), a Fiocruz informou que a entrega das vacinas contra a covid-19 vai atrasar de fevereiro para março justamente em razão da falta de IFA. (com agência Sputnik Brasil)