Citação do nome do partido no caso dos hackers é 'farsa', diz nota do PT

Um dos presos pela Operação Spoofing, o DJ Gustavo Santos, disse que era 'simpatizante' da sigla

Após ser citado por um dos presos no inquérito sobre invasão de celulares de autoridades,o Partido dos Trabalhadores divulgou nota neste sábado (27) chamando o envolvimento do seu nome no caso de 'farsa'.

O PT afirmou que "sempre foi alvo desse tipo de farsa, como ocorreu na véspera da eleição presidencial de 1989, quando a polícia vestiu camisetas do partido nos sequestradores do empresário Abílio Diniz antes de apresentá-los à imprensa."

A sigla ainda disse que "tomará as medidas judiciais cabíveis" contra os agentes e os responsáveis por mais esta farsa. "Quem deve explicações ao país e à Justiça é Sergio Moro, não quem denuncia seus crimes", diz o texto.

Entenda

Em depoimento à Polícia Federal, o DJ Gustavo Henrique Elias Santos disse que Walter Delgatti Neto, que confessou ter obtido conversas de procuradores da Lava Jato, era "simpatizante do PT". Ele disse que ia vender o conteúdo para o partido.