Ônibus de SP deixam de cobrar tarifa diferenciada de vale-transporte

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A gestão do prefeito Bruno Covas (PSDB) informou neste domingo (9) que os cerca de 15 mil ônibus que circulam pela capital vão voltar a cobrar R$ 4,30 das passagens pagas com vale-transporte. A medida vale a partir da meia-noite desta segunda-feira (10) e obedece a determinação da Justiça. 

Em dezembro de 2018, a gestão Bruno Covas (PSDB) aumentou a passagem de ônibus para R$ 4,30, mas a tarifa no vale-transporte subiu para R$ 4,57, porque a prefeitura decidiu cortar o subsídio dado às empresas.

A Defensoria Pública de SP e o Idec (Instituto de Defesa do Consumidor) entraram com recurso contra o aumento da tarifa para quem recebe vale-transporte, o que foi acatado pelo Tribunal de Justiça no último dia 27. 

Diante da decisão judicial, a prefeitura havia pedido prazo para readequar o sistema de cobrança dos coletivos, o que foi finalizado neste domingo, segundo a administração. 

Em nota, a gestão Covas afirmou que recorreu da decisão "uma vez que ela representa um gasto adicional de R$ 650 milhões por ano para subsidiar, com dinheiro da população de São Paulo, uma obrigação que cabe às empresas". 

Além disso, em fevereiro deste ano, decreto do prefeito estabeleceu um limite de dois embarques pagando apenas uma tarifa em até três horas, e não mais quatro.

Os passageiros que recebem vale-transporte vão poder realizar quatro embarques em ônibus diferentes no período de até 3 três horas pelo valor de uma passagem, R$ 4,30.