Desmatamento aumenta 24% na Amazônia, diz Imazon

Pará, Mato Grosso e Amazonas lideram o ranking dos estados que mais desmataram no período

Um aumento de 384 km² de desmatamento na Amazônia Legal entre agosto de 2018 a março de 2019 em relação ao período anterior (agosto de 2017 a março de 2018). A informação foi detectado pelo Imazon - instituto nacional de pesquisa, sem fins lucrativos, composto por pesquisadores brasileiros, fundado em Belém há 29 anos - por meio do Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD). 

O número representa um aumento de 24% na destruição das florestas nos oito primeiros meses do atual calendário do desmatamento.

Pará (755 km²), Mato Grosso (442 km²) e Amazonas (294 km²) lideram o ranking dos estados que mais desmataram no período.

No mês de março de 2019, o SAD detectou 67 km² de desmatamento na Amazônia Legal. A maioria (58%) ocorreu em áreas privadas ou sob diversos estágios de posse. No ranking das dez Unidades de Conservação que mais sofreram com a perda de suas florestas, seis estão localizadas em Rondônia: Florex Rio Preto-Jacundá, Resex Rio Preto Jacundá, Resex Jaci Paraná, PES de Guajará-Mirim, Florsu Periquito, Flona do Jamari.